Resposta fisiológica de sementes forrageiras embebidas com água de cultivo piscícola

Authors

  • Thassiane Telles Conde
  • Luciane da Cunha Codognoto
  • Juslei Figueiredo da Silva
  • Glaucia Amorim Faria
  • Katia Luciene Maltoni

DOI:

https://doi.org/10.55905/rdelosv17.n55-008

Keywords:

Brachiaria, germinação, vigor

Abstract

As Pastagens são a principal fonte de alimento para o rebanho brasileiro, devido aos baixos custos de produção. Como mais da metade desses sistemas possuem algum grau de degradação torna-se necessário o emprego de métodos que favoreçam a germinação e vigor das plântulas, seja nos processos de implantação ou reforma de pastagens. Aliado a isso, é importante garantir a reposição de nutrientes ao solo, sendo a fertirrigação uma alternativa promissora. Desta forma, o estudo teve como objetivo verificar a influência de períodos de embebição (0, 8, 16, 24, 48 e 60 horas) de sementes de Brachiaria brizantha cv Marandu, quanto à germinação, vigor e produção, com águas subterrâneas e de piscicultura de tambaqui. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado (DIC), no esquema fatorial 2 x 6, com 5 repetições. Os resultamos mostraram que os comprimentos aéreo e de radícula e a massa seca de plântulas foram favorecidos pelo uso da água oriunda do sistema piscícola de Tambaqui, diferindo significativamente da água subterrânea. Enquanto o hidrocondicionamento de 24h proporcionou incremento na massa seca de plântulas e melhor índice de velocidade de emergência. Entretanto, o efeito dos tratamentos favoreceu apenas o desenvolvimento inicial da plântula, pois a avaliação da massa seca total realizada aos 71, 92 e 113 dias após semeadura não revelou diferença na produtividade.

References

Alencar, C. A. B.; Cóser, A. C.; Martins, C. E.; Oliveira, R. A. Altura de capins e cobertura do solo sob adubação nitrogenada, irrigação e pastejo nas estações do ano irrigação e pastejo nas estações do ano. Acta Scientiarum, Agronomy, v. 32, n. 1, p. 21-27, 2010.

Alencar, T. A.; Tavares, A. T.; Chaves, P. P. N.; Ferreira, T. A.; Nascimento, I. R. Efeito de intervalos de aplicação de urina bovina na produção de alface em cultivo protegido. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 7, p. 53-67, 2012.

Almeida, J. & LOPES, J. C. Germinação e vigor de sementes de alface em função da temperatura e embebição. Horticultura Brasileira, v. 28, p. 4382-4837, 2010.

Ângelo, F. A. Qualidade da água para irrigação no desempenho de gramíneas forrageiras no Semiárido Paraibano. 2009. 68 f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia). Universidade Federal de Campina Grande, 2009.

Araujo, P. C.; Torres, S. B.; Benedito, C. P.; Paiva, E. P. Condicionamento fisiológico e vigor de sementes de maxixe. Revista Brasileira de Sementes, v. 33, p. 482- 489, 2011.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS EXPORTADORAS DE CARNE - ABIEC. Beef Report Perfil da pecuária no Brasil, 2020. Disponível em: <https://abiec.com.br/wp-content/uploads/SUM%C3%81RIO-BEEF-REPORT-2020_NET-4.pdf>. Acesso em: 10 Maio 2020.

Bonomi, L. T. S.; Guimarão, R. M.; Oliveira, J. A.; Andrade, V. C.; Cabral, P. S. Efeito do condicionamento osmótico em sementes de Brachiaria brizantha cv. Marandu. Ciência e Agrotecnologia, v. 30, n. 3, p. 422-428, 2006.

Cardoso, J. M. S.; Andrade, A. C.; Magalhães, J. A.; Rodrigues, B. H. N.; Vieira, J. S.; Fogaça, F. H. S.; Mehl, H. U.; Costa, N. L. Fontes e doses de nitrogênio na produtividade do capim-Marandu. Revista Pubvet, v. 9, n. 8, p. 348-358, 2015.

Castellani, D.; Camargo, A. F. M; Abimorad, E. G. Aquaponia: aproveitamento do efluente do berçário secundário do Camarão-da-Amazônia (Macrobrachium amazonicum) para produção de alface (Lactuca sativa) e agrião (Rorippa nasturtium aquaticum) hidropônicos. Bioikos, v. 23, p. 67-75, 2009.

Castro, R. S.; Azevedo, C. M. S. B.; Barbosa, M. R. Efeitos de efluente de viveiro de piscicultura e de água de poço na irrigação do tomate cereja, cultivado em diferentes níveis de adubação orgânica. Revista Ciência Agronômica, v. 36, p. 396-399, 2005.

Costa, K. A. P.; Faquin, V.; Oliveira, I. P.; Severino, E. C.; Oliveira, M. A. Doses e fontes de nitrogênio na nutrição mineral do capim-Marandu. Ciência Animal Brasileira, v. 10, n. 1, p.115-123, 2009.

Costa, K. A. P.; Oliveira, I. P.; Faquin, V.; Neves, B. P.; Rodrigues, C.; Sampaio, F. M. T. Intervalo de corte na produção de massa seca e composição e composição químico-bromatológica da Brachiaria brizantha cv. MG-5. Ciência agrotécnica, v. 31, n. 4, p. 1197-1202, 2007.

Dias-Filho, M. B. Diagnóstico das pastagens no Brasil. Belém: Embrapa Amazônia, 2014.

Ferreira, D. F. Sisvar: A Guide for its Bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciência Agropecuária, v. 38, p. 109-112, 2014.

Franzin, S. M.; Menezes, N. L. DE; Garcia, D. C.; Wrasse, C. F. Métodos para avaliação do potencial fisiológico de sementes de alface. Revista Brasileira de Sementes, v.26, p. 63-69, 2004.

Heydecker, W.; Higgins, J.; Turner, Y. J. Invigoration of seeds. Seed Science and Technology, v. 3, n. 4, p. 881-888, 1975.

Maguire, J. B. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence vigor. Crop Science, v. 2, p. 176-177, 1962.

Mapa – Ministério da Agricultura, Pecuária e abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília MAPA; 2009. p 399.

Marcos-Filho, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. 2.ed. Londrina: Abrates, 2015. 660p.

Peres, L. J. S; Hussar, G. J; BELI, E. Eficiência do tratamento de esgoto doméstico de comunidades rurais por meio de fossa séptica biodigestora. Engenharia Ambiental Pesquisa e Tecnologia, v. 7, n. 1, p. 20-36, 2010.

Popinigis, F. Fisiologia da semente. Brasília: Agiplan; 1985. p. 289.

Silva, E. A.; Ramos, J. D.; Silva, F. O. R.; Soares, F. M.; Santos, V. A.; Ferreira, E. A. Adição de água residuária de laticínio em substrato para produção de mudas de maracujazeiro ‘amarelo’. Revista Agrarian, v. 7, n. 23, p. 49- 59, 2014.

Souza, P. P.; Neto, J. R. Reaproveitamento da água de piscicultura na irrigação da forragem brachiaria brizantha cv. Brs piatã. Revista científica multidisciplinar núcleo do conhecimento, 2018.

Vieira, R.D.; Krzyzanowski, F.C. Teste de condutividade elétrica. In: Krzyzanowski, F.C.; Vieira, R.D.; França Neto, J.B. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: Abrates, p. 1-26, 1999.

Published

2024-05-08

How to Cite

Conde, T. T., Codognoto, L. da C., Silva, J. F. da, Faria, G. A., & Maltoni, K. L. (2024). Resposta fisiológica de sementes forrageiras embebidas com água de cultivo piscícola. DELOS: Desarrollo Local Sostenible, 17(55), e1432. https://doi.org/10.55905/rdelosv17.n55-008

Issue

Section

Articles